Vitória, ES, Sábado, 23 de Setembro de 2017

COMO FAZER?

Como conduzir o Evangelho no Lar?

Escolhe-se um dia da semana e hora em que seja possível a presença de todos os familiares ou da maior parte deles, observando-se com rigor a sua constância e pontualidade, para facilitar a assistência espiritual.

A direção do Evangelho no Lar caberá a um .dos cônjuges ou a pessoa que disponha de maiores conhecimentos doutrinários. Cabe lembrar, no entanto, que por se tratar de um estudo em grupo não é necessária a presença de pessoas com cultura doutrinária. Na pureza dos ideais e na sinceridade das intenções, todos aprenderão juntos, auxiliando-se mutuamente.

É importante que os temas sejam discutidos com a participação de todos, na medida do possível, sem imposições, para evitar-se constrangimentos.

Deve-se buscar um ambiente amistoso, de respeito, pois, viver e falar com Jesus é uma felicidade que não se deve desprezar.

Antes do início da reunião, prepara-se o local, colocando-se em cima da mesa água pura, em uma garrafa, para ser beneficiada pelos Benfeitores Espirituais, em nome de Jesus.

Participantes

Poderão participar do culto todas as pessoas integrantes do lar, vizinhos e inclusive as crianças.

Desenvolvimento

1. Leitura de uma mensagem

A leitura inicial de uma mensagem poderá, após, ser comentada ou não.

Ela tem por objetivo propiciar um equilíbrio emocional, procurando harmonizá-lo com os ideais nobres da vida, a fim de facilitar melhor aproveitamento das lições.

Poderemos lembrar obras com "Pão Nosso", "Fonte Viva", "Vinha de Luz", "Caminho, Verdade e Vida", "Palavras de Vida Eterna", "Ementário Espírita", "Glossário Espírita Cristão".

2. Prece Inicial

Apó a leitura da mensagem, inicia-se o Evangelho no Lar, com uma prece. A oração deve ser proferida por um dos participantes, em tom de voz audível a todos os presentes e de forma simples e espontânea, não devendo ser, portanto, decorada. 

Os demais, acompanham-no, seguindo a rogativa, frase por frase, repetindo mentalmente, em silêncio, cada expressão, a fim de imprimir o máximo ritmo e harmonia ao verbo, ao som e a idéia, numa só vibração.

Na prece pode pedir-se o amparo de Deus para o lar onde o Evangelho está sendo estudado, para os presentes, seus parentes e amigos; para os enfermos, do corpo e da alma; para a paz na Terra; para os trabalhadores do Bem e etc.

A prece, além de ligar o ser humano à espiritualidade, traduz respeito pelo momento de estudo a realizar-se.

3. Estudo do Evangelho de Jesus

O estudo do Evangelho do Cristo, à luz da Doutrina Espírita - "O Evangelho Segundo o Espiritismo", de Allan Kardec - poderá ser estudado de duas formas:

a) Estudo em seqüência: o estudo metódico, em pequenas partes, permite o conhecimento gradual 

b) Estudo ao acaso: consiste na abertura, ao acaso, de "O Evangelho Segundo o Espiritismo", o que ensejará, também, lições oportunas, em qualquer ocasião.e ordenado dos ensinamentos que o livro encerra. Após o seu término, volta-se, novamente, ao capítulo inicial;

Os comentários devem envolver o trecho lido, buscando-se alcançar a essência dos ensinamentos de Jesus, realçando-se a necessidade da sua aplicação na vida diária.

Pode reservar-se, posteriormente, um momento de palavra livre, onde os participantes da reunião exponham situações da vida prática, para o melhor entendimento e fixação das lições.

4. Prece de agradecimento

Um dos presentes fará uma prece, agradecendo as bênçãos recebidas no culto do Evangelho no Lar, pela paz, pelas lições recebidas etc.

Observações

A duração do Evangelho no Lar deve ser de até 1 (uma) hora, mais ou menos. No Evangelho no Lar deve ser evitada manifestações mediúnicas. A sua finalidade básica é o estudo do Evangelho de Jesus, para o aprendizado Cristão, a fim de que seus participantes melhor se conduzam na jornada terrena. Os casos de mediunidade indisciplinada devem ser encaminhados a uma sociedade espírita idônea.

Deve-se evitar comparações ou comentários que desmereçam pessoas ou religiões. No Evangelho busca-se a aquisição de valores maiores, tais como a benevolência e a caridade, a compreensão e a humildade, não cabendo, dessa forma, qualquer conversação menos edificante.

A realização do Evangelho no Lar não deve ser suspensa em virtude de visitas inesperadas. 

Deverá ser esclarecido o assunto com delicadeza e franqueza, convidando-se o visitante a participar do culto, caso lhe aprouver. O culto do Evangelho no Lar não deve ser prejudicado, também, em virtude de solicitações sem urgência, recados inoportunos, passeios, festividades de qualquer ordem. Soluções razoáveis, de imediato, ou iniciativas, apôs a reunião, deve ser o caminho para superar os obstáculos.

Pretensos impedimentos

Somente no caso de situações incontornáveis, em que todos não possam estar presentes, é que se justifica a não realização do Evangelho no Lar.

Evite-se ligar rádio ou televisão no dia do culto, próximo e depois da hora de sua realização, bem como a leitura de jornais ou obras sem caráter edificante, para que se mantenha um ambiente vibratório de paz e tranqüilidade dentro do lar, bem como saídas à rua, senão para inevitáveis e inadiáveis compromissos.

Presença de criança 

As crianças devem, também, participar do Evangelho no Lar. Nesses casos, os adultos descerão os comentários ao nível de entendimento delas.

Recomenda-se a leitura, como subsídio, dos capítulos 35 e 36 da obra "Os Mensageiros", do Espírito André Luiz, e "Evangelho em Casa", do Espírito Meimei, psicografadas pelo médium Francisco Cândido Xavier e editadas pela Federação Espírita Brasileira. (fonte de pesquisa: www.cvdee.org.br)

 

Núcleo Espírita Irmão Maurício - NEIM

Avenida Maruípe, 1735, São Cristovão, Vitória, ES, CEP 29.047-231

Contato: José Carlos Fiorido :: jfiorido@hotmail.com :: (27) 99971-9981

Desenvolvido por Fábio C. Souza :: fabio.custodio.souza@gmail.com :: Vila Velha - ES :: (27) 99690-4242