Vitória, ES, Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017

HISTÓRICO

O início

O Departamento de Assistência e Promoção Social, instalou no dia 20 de maio 2005, no Instituto de Readaptação Social Jair Etienne Dessaune - IRS,conhecido popularmente por “Penitenciária Pedra d’Água”, por recomendação da Presidente da Federação, um programa de evangelização de presos.

Os trabalhadores iniciantes da tarefa, de diversas casas espíritas, estão sob a coordenação do cruzado José Carlos Fiorido e conta com diversos trabalhadores do Núcleo Espírita Irmão Maurício e outras casas espiritas.

Embora a tarefa em si tenha se iniciado nesta data, o trabalho começou a ser realizado a partir de agosto de 2004, quando o Departamento conseguiu encontrar um voluntário disposto a realizar a tarefa, o qual assumiu o encargo de aproximar os espíritas dos presídios e dos presidiários, tarefa esta reclamada pelas autoridades constituídas, que nas suas percepções, viam os católicos e evangélicos adentrando e contatando com os detentos, mas os espíritas estavam ausentes e distantes.

Tendo surgido a oportunidade de iniciar o trabalho de evangelização com os detentos, a coordenação dos trabalhos deu início às atividades no dia 20 de maio de 2005, tendo como responsável o Coronel Fiorido, trabalhador do Núcleo Espírita Irmão Maurício, sendo escolhido o Instituto de Readaptação Social - IRS por três razões fundamentais. 

A primeira é que o então diretor do presídio é simpatizante do espiritismo; a segunda é que, sendo o presídio destinado a pessoas já condenadas, o presídio oferece menos riscos - esta foi uma das maiores argumentações contra o trabalho com presidiários, e a terceira, não havendo ainda mulheres disponíveis para o trabalho, fomos orientados a não iniciar trabalhos em presídios femininos com evangelizadores masculinos.


Idalinda de Aguiar

Na reunião mensal dos trabalhadores do grupo de apoio aos apenados, realizado no dia 15 de dezembro de 2007, na Sociedade Espírita Guillon Ribeiro, foi definido o nome do grupo como Grupo Espírita de Apoio aos Apenados Idalinda de Aguiar. 

A escolha do nome foi em homenagem a companheira Idalinda de Aguiar Mattos, já de volta ao Plano Espiritual, que fez de sua vida um trabalho constante nessa área.Ao fim da reunião, a querida irmã, nos deixou uma mensagem piscofônica, de conforto e incentivo para a realização e condução dos trabalhos nos presídios, informando "que havia ficado muito contente pela escolha do nome, mas que o nome dela no grupo não significava muito, e o que significava de verdade era o nosso amor ao trabalho".

Em 1967, fundou o “Lar de Amélie Boudet”, para assistir filhos de presidiários. Cinco anos depois, o “Lar” sofreria solução de continuidade por absoluta falta de recursos. Em 1961 aprendeu o alfabeto Braille, para lecionar nas Unidades Prisionais do Rio de Janeiro, e com a ajuda de seus alunos transcreveu, para a Sociedade de Pró-Livro Espírita em Braille (SPLEB), cerca de 15 obras. 

Nesse mesmo período (61-66), foi eleita Secretária da Comissão Bibliográfica da SPLEB.Espírita afeiçoada ao bem, diligente, honesta, sincera em todas as suas iniciativas, formou em torno de si vasto círculo de amizade e de admiradores da sua obra. 

Além de seu trabalho socorrista, possuía notável capacidade de comunicação na difusão do Espiritismo, por todos os meios e formas. Podemos dizer, sem qualquer receio de errar: Idalinda de Aguiar Mattos teve uma vida missionária, toda dedicada aos necessitados em geral, e aos sofredores.


Atendimento ao egresso

O Grupo Espírita de Apoio aos Apenados Idalinda de Aguiar, vem sentindo os efeitos do trabalho de evangelização que se realiza nos diversos presídios.

O Núcleo Espirita Irmão Mauricio, instituição onde trabalha o coordenador do Grupo Idalinda de Aguiar tem recebido diversos internos que ao sair, muitos vem agradecer e outros vem solicitar ajuda imediata, posto que saem dos presídios, muitas vezes, sem qualquer recurso, especialmente, o interno que mora em outras cidades e estados e nao recebe visita da familia.

Para ser liberado, quando tem recursos a receber, fruto do seu trabalho, a burocracia do Estado emperra muitas vezes por até quinze dias para que este recurso seja liberado.

Muitas vezes o egresso ao sai nao tem sequer documentos e onde passar a primeira noite ou alimentar-se ou tomar banho. Quando um trabalhador do grupo toma conhecimento deste fato, desdobra-se para conseguir, mesmo pagando, o lugar onde dormir, tomar banho e alimentar-se, alem de recursos míninos até que o interno consiga se ajustar.

Já mobiliamos uma casa com donativos, incluside pagando o alguel para uma interna que ganhou bebê quase imediatamente ao dia em que foi libertada. Uma outra está sendo assistida com alimentos e recursos para conseguir evitar o assédio do tráfico que procura estas pessoas na hora do desespero.

Precisamos de recursos e interação. Se desejas ajudar, entre em contato conosco atraves do Fale Conosco.


Caridade para com os criminosos

"Não julgueis, oh! não julgueis absolutamente, meus caros amigos, porquanto o juízo que proferirdes ainda mais severamente vos será aplicado e precisais de indulgência para os pecados em que sem cessar incorreis. Ignorais que há muitas ações que são crimes aos olhos do Deus de pureza e que o mundo nem sequer como faltas leves considera?

A verdadeira caridade não consiste apenas na esmola que dais, nem, mesmo, nas palavras de consolação que lhe aditeis. Não, não é apenas isso o que Deus exige de vós. A caridade sublime, que Jesus ensinou, também consiste na benevolência de que useis sempre e em todas as coisas para com o vosso próximo.

Podeis ainda exercitar essa virtude sublime com relação a seres para os quais nenhuma utilidade terão as vossas esmolas, mas que algumas palavras de consolo, de encorajamento, de amor, conduzirão ao Senhor supremo.

Estão próximos os tempos, repito-o, em que nesse planeta reinará a grande fraternidade, em que os homens obedecerão à lei do Cristo, lei que será freio e esperança e conduzirá as almas às moradas ditosas. Amai-vos, pois, como filhos do mesmo Pai; não estabeleçais diferenças entre os outros infelizes, porquanto quer Deus que todos sejam iguais; a ninguém desprezeis.

Permite Deus que entre vós se achem grandes criminosos, para que vos sirvam de ensinamentos. Em breve, quando os homens se encontrarem submetidos às verdadeiras leis de Deus, já não haverá necessidade desses ensinos: todos os Espíritos impuros e revoltados serão relegados para mundos inferiores, de acordo com as suas inclinações.

Deveis, àqueles de quem falo, o socorro das vossas preces: é a verdadeira caridade. Não vos cabe dizer de um criminoso: um miserável; deve-se expurgar da sua presença a Terra; muito branda é, para um ser de tal espécie, a morte que lhe infligem. Não, não é assim que vos compete falar. 

Observai o vosso modelo: Jesus. Que diria ele, se visse junto de si um desses desgraçados? Lamentá-lo-ia; considerá-lo-ia um doente bem digno de piedade; estender-lhe-ia a mão. Em realidade, não podeis fazer o mesmo; mas, pelo menos, podeis orar por ele, assistir-lhe o Espírito durante o tempo que ainda haja de passar na Terra. 

Pode ele ser tocado de arrependimento, se orardes com fé. E tanto vosso próximo, como o melhor dos homens; sua alma, transviada e revoltada, foi criada, como a vossa, para se aperfeiçoar; ajudai-o, pois, a sair do lameiro e orai por ele." Elisabeth de França. (Havre, 1862)

 

Núcleo Espírita Irmão Maurício - NEIM

Avenida Maruípe, 1735, São Cristovão, Vitória, ES, CEP 29.047-231

Contato: José Carlos Fiorido :: jfiorido@hotmail.com :: (27) 99971-9981

Desenvolvido por Fábio C. Souza :: fabio.custodio.souza@gmail.com :: Vila Velha - ES :: (27) 99690-4242